Edson Duarte
Homenagem a cidade Riachão do Jacuipe e aos profissionais da saúde

Minha amada Riachão do Jacuípe, cujo céu azul sem igual, quando fica cinza anuncia a chuva que vem no horizonte para perfumar os ares e encharcar o chão sagrada. Para a alegria das borboletas e da passarada, a caatinga se resplandece de verde e flores silvestres.                              

 

É banhada pelo rio Jacuípe e pelo riacho do Boqueirão.              

 

O Açude do Cedro é um dos seus cartões postais, além de matar a fome e sede dos jacuipenses, em suas águas doces o Sol vagarosamente se esconde e a Lua cheia surge magnífica para a admiração de todos e encanto dos namorados.                                      

 

Em contraste com os aspectos naturais, a beleza das torres da Igreja Matriz e o monumento à Padroeira Nossa Senhora da Conceição encantam a todos que passam pelo centro da querida Riachão.                            

Em épocas festivas a Filarmônica Lira 8 de Setembro desfila pelas ruas da pequena cidade entre aplausos emocionados da população.          

 

Em dias de futebol com o Esporte Clube Jacuipense, o estádio municipal fica cheio de gente bonita que torce e vibra pelo querido Leão Grená.                        

 

No mês de junho o colorido das bandeirolas se mistura com a alegria e a poesia do forró que toma conta da cidade.                                                

 

Em agosto a lavagem do Glorioso São Roque alegra as ruas e os becos do aconchegante lugar.                        

Quando chega o Natal a luz dos presépios ilumina as casas das famílias, e foi no solo sagrado das lapinhas de Riachão do Jacuípe que uma fecunda semente foi plantada, germinou, cresceu e deu frutos lindos, valiosos, denominados  Miniaturas de Casas Antigas do Sertão.

Nossas sinceras condolências às famílias de todos que partiram por conta dessa pandemia, ao mesmo tempo nossas mais profundas reverências à comunidade médica e científica, desde as pessoas que fazem a limpeza e preparam as refeições dos hospitais, aos mais renomados enfermeiros, médicos e cientistas, não os definiremos como heróis, apesar de terem seus lados heróicos sim, mas de pessoas fortes, dignas, cheias de esperanças e sonhos, também com seus medos e decepções, afinal são seres humanos, merecem todo respeito e valorização durante e pós pandemia, estão sendo de fundamental importância nesse momento difícil.                  

 

Com os nossos corações cheios de gratidão e amor, elevemos nossos pensamentos ao alto, e emanemos todas as essências  das flores e árvores da caatinga para perfumarem suas almas, emanemos o frescor das brisas e chuvas que molham nossa terra sagrada para refrescarem seus pensamentos, emanemos toda a beleza do céu enluarado e cheio de estrelas fulgurantes do nosso sertão para embelezarem seus olhos, e roguemos ao Criador que reúna muitos pássaros maravilhosos da nossa mata branca, em uma dessas Igrejinhas encantadoras, cheias de fé, para agraciarem seus ouvidos, almas e corações com a mais bela e sublime canção que já se ouviu, Deus os abençoe e proteja, gratidão.

Logo